quarta-feira, 23 de outubro de 2013

O corpo que fala

Tem gente, feita de contatos autistas, que vive o ranço das relações cordiais e mentirosas, que produzem menos energia que uma bateria não alcalina AAA.
Desconectad@s, vivem desplugad@s, são cor de burro quando foge são bege (ou beige), passam na vida inodor@s, impenetráveis, coração e desejo: num âmbar no peito.
Tudo porque não dizem sim, assim: de viver em tolerância consigo mesmo (nem com @s outr@s. Querem viver sem febres que ardem-queimam e pululam pelo corpo inteiro e que são sazonais e permanentes, para quem é normal: um vivente.
Tem que avisar para esse povo, que anda negando ser humano, que debaixo da pele e dentro do crânio, tem um bicho que diz sim, mansamente. E quem faz a folia doente de negar o desejo, natural e matreiro, não pode dar certo...
Acaba sendo só projeto de gente.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta aqui: