quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Maturidade

Minha pele floresce
e a carne
do verde bruto, frouxo e desluzido

vai ao vermelho rubro,
prometedor
e assanhado,
para que tu, sem dó,
lhe crave os dentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta aqui: