quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Casad@ estava

Eu rio de meu obtuso dilema:
se te vejo assim bel@, cobert@ de brilho,
um frio bulímico me come o estômago,
uma ânsia anorexica,
me aperta a garganta.
A tua vontade, esmagada,
sob a lápide em forma de anel,
imponderável, gritando no dedo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta aqui: