sábado, 4 de dezembro de 2010

Para o verão

Quero um sol que fale pelos cotovelos
e um mar vivo de humores: nesse verão.
Quero areias de pó-de-arroz e pedras para
deitar a indolência, de férias,
em lugares ermos e vivos,
que são só meus, não porque ninguém os conheça,
mas porque os fiz assim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta aqui: