segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Da liberdade

Gosto de minha casa, de ser livre assim e de estar perto de mim. 
Gosto de ser minha dona, mandar “no meu nariz”. Gosto de saciar desejos de certas bocas (certas), do frêmito andando na pele, do colorido da mente. Gosto do sol. Gosto do poente. Gosto de alguma gente. E da noite, que dá “contra-luz” de presente.
Gosto de estar comigo e de poder estar ausente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta aqui: