segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Sustado

Os braços dela soltos,
pendendo - 
carne sem movimento - 
retalham minha alma.

Os braços dela cheios de
 abraços suspensos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta aqui: